Carreira Solo ou Banda? Qual Eu Devo Escolher?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Sempre que ouvimos algum artista de banda mencionar que vai começar uma carreira solo, os julgamentos quase sempre não são bons. Sempre parece que o cara (geralmente o vocalista) tem algum tipo de problema interno. Ou então quer os louros para si.

Mas será que é isso mesmo? E você? Tem alguém na sua banda querendo fazer um trabalho solo? Como você encara essa atitude?

Essa é uma discussão interessante. O renomado The Guardian fez uma matéria bacanuda sobre o que leva um artista de uma banda a querer um álbum solo. Artistas como Julian Casablancas, do The Strokes e Thom Yorke do Radiohead falam dos seus motivos.

E essa matéria também traz uma grande reflexão do que é ser um artista de verdade. E ainda porque quase sempre são os vocalistas que partem com essa ideia.

E ainda você que está pensando em começar uma carreira musical, pode refletir se deve ou não entrar em uma banda ou apostar na carreira solo.

O Ciúme da banda

Vamos lá. Você juntou uns amigos pra fazer um som, e no fim das contas hoje você tem banda. Irado.

Provavelmente, vocês passaram muito tempo juntos fazendo as primeiras músicas. Muito tempo pensando em um nome para banda. Algo que fizesse sentido. Algo que fosse diferente e impactante.

Não importa se você toca reggae, pagode ou rock. A história é quase sempre a mesma. O sentimento de posse também. Aquela unidade que a banda cria e só ela entende traz um gostinho especial que se mistura entre orgulho e gratidão.

carreira solo
Julian Casablancas em carreira solo

Vocês se esforçam pra ganhar um certo público. Pra mandar bem nos shows e crescer a banda. Ao menos nos casos normais é assim. E digamos que agora vocês possuem uma base de fãs legal

Aí depois de um tempo, o vocalista chama uma reunião. E nessa reunião ele diz que está pensando em fazer um projeto solo. Tocar outras coisas. Coisas que não envolvem vocês da banda.

Qual sua reação? Parece sujo? Parece que o cara quer se aproveitar do respaldo que você ajudou a criar para navegar em um mar onde só ele nada?

É. Talvez seja esse a primeira reação que venha na sua cabeça. Mas vamos conversar um instante sobre ser artista.

Por que carreira solo?

Um artista é alguém que faz arte. Um músico nem sempre é um bom artista. E um artista nem sempre é um bom músico. Isso precisa ficar claro.

A solução perfeita é a união desses dois requisitos. Essa combinação é essencial para atingir a grande massa de público. Para tocar de verdade as pessoas de uma forma única e profunda.

Mas, voltando ao ponto. O artista faz arte. E quando falamos de arte, falamos de algo imensurável. Algo que não tem controle sobre si mesmo e que não possui regras.

Já uma banda, tem algumas regras. Uma banda é uma entidade, com modo de vestir e identidade visual. Se você não criou uma identidade para sua banda, você está um pouco atrás nessa maratona que é viver de música.

Mas, uma vez que você tenha uma identidade definida da sua banda, ela é inevitavelmente limitada. Não quero dizer aqui que isso é uma regra. Nada disso, nada ver. Se fosse pra ficar cagando regra você e eu não teríamos escolhido esse estilo de vida.

Mas uma banda de metal que resolve lançar um disco de baião, fica estranho. Imagine aqueles caras cabeludos de chapéu e camisa pólo. Não combina. Então, naturalmente você acaba limitando a sua banda na identidade dela. O que é muito legal.

Você tem foco e sabe o que quer. Isso vai te ajudar a encontrar o público certo que vai te ouvir.

Arte o tempo todo

Mas voltando ao artista. Ele, teoricamente, cria arte o tempo todo. E como a arte não tem regra, vão haver momentos em que a criação simplesmente não se encaixa no que a banda é.

Via de regra, o artista quer expor sua criação ao público. Mas agora ele não sabe como. Ele fez um reggae e a banda dele é de hardcore. O próprio Thom Yorke disse que o Radiohead “é deprimente demais” e que não quer mexer nisso. Por isso resolveu lançar seu projeto solo, para não misturar as coisas.

Egomania

Se você é a pessoa que está pensando em seguir um projeto solo. Talvez essa seja uma boa alternativa para explicar pra galera da banda. Algumas coisas simplesmente não cabem na banda, e quem sabe eles até não te ajudem nesse projeto novo.

E se você é alguém cujo um membro da banda pensa em criar um projeto solo, hora de criar empatia. É preciso entender as motivações e necessidades de cada um. Se o membro continua ajudando dentro da banda, tudo certo.

Contudo, existem alguns casos em que o artista quer na verdade, sair fora geral. Ele sente que a banda não é mais o espaço dele. Isso pode mesmo acontecer.

E existem alguns motivos claros para isso. Só não enxerga quem não quer ver.

Subiu pra cabeça

Se você está pensando em deixar sua banda porque acha que ela não é boa o suficiente para você, pense de novo. Você tem certeza disso? Você acha mesmo que faz tudo sozinho? Você realmente acredita que ninguém se dedica o suficiente?

Primeiro, você precisa considerar que cada um de nós tem ritmo e velocidade diferentes. Não adianta cobrar a mesma motivação de todos os membros da banda. Talvez agora você esteja muito empolgado. Mas, em algum momento, por um motivo qualquer, pode ser você quem está desanimado. Pense com calma antes de achar que é bom demais para todo mundo.

A banda já não corresponde

Um artista faz arte. E ele precisa continuar fazendo isso. A despeito do que citamos no primeiro item, pode ser que a banda realmente esteja meio parada. Que o desânimo geral tenha se instaurado.

Não tem música nova, não tem show, não tem encontro. Não tem mais “liga”. Isso é realmente triste. Mas pode ser verdade. Encare isso de mente limpa e converse com todos os membros da banda.

Independente do andamento do projeto, a vida de um artista é constituída de fluxo. Ele simplesmente não pode esperar a boa vontade do grupo.

O mais importante é citar que uma carreira solo ou paralela de um membro da banda não significa o fim do projeto atual. As coisas podem ser complementares. Essa carreira solo pode ser um laboratório para o carro chefe, que é a banda.

carreira solo
Gustavo Bertoni toca folk em seu projeto solo

Quer um bom exemplo? Lucas Silveira, da banda Fresno, Visconde, SirSir e tantos outros. Se prestar atenção, a carreira solo do músico e produtor está cheia de retalhos de músicas do projeto principal da Fresno.

É uma espécie de teste de mercado. Será que esse refrão é bom? Será que esse riff pega? Isso o ajuda a lapidar algo mais catártico em algum lançamento novo da banda gaúcha.

Mas eu estou começando minha carreira…

Se você é um artista em início de carreira e está se decidindo se vai seguir carreira solo ou se quer ter uma banda, você deve ponderar algumas coisas.

Primeiro, você vai precisar de uma banda. Não há muita escolha aqui. Mesmo que você seja um Chet Faker, para os shows ao vivo serem mais interessantes, em algum momento você vai precisar de pessoas tocando instrumentos.

Então no frigir dos ovos, você sempre vai ter banda. A diferença é se ela é uma entidade ou se leva seu nome.

Existem diversos fatores que devem ser pensados em termos de marca na hora de construir uma carreira solo ou não. Vamos falar disso mais profundamente em algum outro momento.

Mas, é preciso considerar como a sua voz de marca vai se apresentar. O que o projeto em si, da composição aos arranjos representa. Que tipo de público esse projeto vai atingir. Entre outras coisas que podem ser definitivas entre ter uma banda ou seguir carreira solo.

Seja quem você é e não negue isso

Acima de tudo, leve em consideração quem você é e o que deseja ser. Ter uma banda significa casar-se com 2 ou mais pessoas para o resto da sua vida. Então é preciso pensar e escolher bem com quem você vai se casar. Ou se vai mesmo se casar.

Ter uma banda te traz inúmeras vantagens e desvantagens. Cada uma delas é muito subjetiva e depende da intenção interior de cada um. Se você acha que tomou a decisão errada em querer ter uma banda, assuma isso à todos o quanto antes.

É muito pior postergar. Você só se machuca mais e vai machucar mais ainda seus parceiros de banda.

E se você está na posição de “abandonado”, busque entender o lado de quem está saindo. Nossas motivações são únicas e somente o tempo pode cuidar de tudo. E nada de lamentações. A vida continua e seu projeto também.

Se é o caso de o vocalista estar saindo da banda, você tem um baita desafio pela frente. Mas não significa que não seja possível. Mais do que nunca, você vai ter de lutar para preservar a marca da banda, dessa vez com uma nova voz.

Esse post foi uma sugestão de um de nossos leitores. Se você gostaria de sugerir alguma pauta, deixe abaixo nos comentários ou envie para contato@musichub.online

No Posts Found

não vai deixar
seu autógrafo?

cursos gratuitos, networking, materiais de trabalho, diagnóstico, rede social... .. em 1 minutos você cria sua conta, é rápido