Crie Música Profissional de Ponta a Ponta

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Se você é compositor ou faz trabalho autoral numa banda, com certeza pensa em lançar sua música de forma profissional, seja disponibilizando elas para download na internet, seja no formato de EP ou CD.

É comum que a ansiedade e a experiência insuficiente acabem não só tornando o tempo decorrido até o lançamento muito longo, como os custos ficarem muito além do esperado.

São muitas coisas em que pensar. A gravação, as cópias do CD/EP, fotos, arte gráfica, impressão, encarte, registro das músicas e dos fonogramas…a lista é longa.

E aí começa a ficar meio óbvia a necessidade de planejamento. Embora, incrivelmente, ainda seja comum que artistas não tenham se conscientizado dela.

Ainda tem gente que pensa que tudo se resume a gravar algumas músicas num CD demo, colocá-lo debaixo do braço e ir tentar tocar em algum boteco para conquistar os primeiros fãs e depois o resto do mundo.

musico rustico

Pense e Aja como um Empresário

Convido você, leitor, a olhar à sua volta. Vivemos em um mundo em que um mínimo de organização e planejamento são cada vez mais questão de sobrevivência em qualquer atividade profissional.

Isso por causa da concorrência cada vez mais acirrada. Invariavelmente o objetivo é conquistar clientes, seja para produtos, seja para serviços. Por que seria diferente com a música?

A sua música, o seu trabalho, é o seu produto. E os clientes que você tem de conquistar e manter são os fãs. Se a sua intensão com o seu trabalho musical é entrar no mercado, deve pensar e agir como um profissional.

E precisa tratar a sua banda como um empresário trata a sua empresa.Business monkey

Deixe de lado os pudores que eventualmente tenha a respeito. Queira ou não, você e seus colegas de banda são sócios em um negócio. Acredite, por mais duro que possa parecer, é exatamente essa a realidade.

E como em qualquer negócio, há a necessidade de planejar, de se dedicar em tempo e dinheiro, de se aperfeiçoar, de observar os mais bem sucedidos e aprender com eles, etc.

Dê uma olhada em sites tipo Palco MP3. São vitrines para expor artistas e seus trabalhos. Uma das razões é por serem facilmente acessíveis, super democráticos, já que, sem pagar um único centavo, qualquer um pode se cadastrar e expor lá suas produções.

Por isso mesmo, é possível encontrar muitos trabalhos com “cara” bastante amadora.

Mas, a razão de meu convite ao acesso a sites assim é o fato de que neles se encontra muita gente mostrando trabalhos muitíssimo bem resolvidos, que denotam capricho, qualidade técnica, etc. Se você acessar um site assim verá facilmente quais são mais atraentes e chamativos.

É com eles que o seu trabalho vai disputar a atenção das pessoas. Então, se quiser se destacar deles você terá de fazer melhor. Não tenha ilusões: mesmo que suas músicas sejam ótimas.

Outra maneira é você participar dos nossos treinamento e aprender as ações que empresários artísticos atuais usam para alavancar carreiras utilizando o ambiente digital. Clique aqui para saber mais.

A Velha História…

Aquela história de gravar um trabalho de forma simples num CD demo achando que algum bem feitor, tipo um patrocinador, um produtor, uma gravadora, etc,  irá contratá-lo, colocar você e sua banda num estúdio, ou contratar músicos de apoio, produtor musical e investir uma montanha de dinheiro em seu trabalho para coloca-lo no mercado é algo completamente fora da atual realidade.

Também não funciona fazer uma gravação “meia boca”, seja em áudio ou em vídeo, postar no YouTube e esperar ser descoberto. Esse tipo de vitrine não funciona se você não se destacar.

Você só vai obter alguma repercussão se o seu trabalho for mais atrativo do que a média de tudo o que se está postado lá. Do contrário você será só mais um rosto perdido no meio da multidão. Repito, não se iluda! Hoje é você, artista, que terá de gerenciar tudo que envolve o seu trabalho e ser capaz de torna-lo atraente.

negocio da musica

Com o seu esforço e com o seu dinheiro. Pensando grande e buscando o máximo de qualidade para que possa conquistar as pessoas que irão consumir o seu produto (música), os seus clientes (fãs).

Lançar “DEMO” não!

Para começar a se planejar, o primeiro passo é entender que hoje ninguém mais quer saber de um “cd demo”. O que você precisa lançar não é apenas um “demo” e sim um trabalho bem acabado, resolvido, completo. Mesmo que seja uma única música, um single.

Esse lançamento precisa ter material pronto. O mercado não aceita mais um “demo” como material de divulgação. Há exceções, mas elas são cada vez mais raras e caminham para se extinguir completamente muito em breve.

E a principal razão é que hoje não só é muito mais fácil produzir material de qualidade, tanto músicas com áudio de primeira, quanto a produção gráfica (encarte, fotos, site, etc) como divulgar o trabalho. 

Liberdade

Essa nova realidade deu ao artista a tão sonhada “liberdade artística”. Mas o preço a pagar – e sempre há um preço a ser pago – é que a responsabilidade do artista aumentou muito.

É ele que precisa pensar de forma abrangente no seu trabalho. CD ou fita K7 “Demo” era um recurso usado até alguns anos atrás porque simplesmente era só o que a imensa maioria de artistas independentes podia fazer.

Gravações de qualidade eram inacessíveis. Durante muito tempo, até comprar instrumentos com alguma qualidade era difícil, já que as importações eram proibidas e, por isso mesmo, os nacionais eram bem precários, salvo raras e caras exceções.

E as possibilidades de divulgação eram extremamente restritas, já que não havia internet. Quando muito o artista conseguia divulgar sua banda no bairro ou, com sorte, na cidade.

Ficava-se inteiramente dependente de ser descoberto por alguma gravadora. Por isso era comum que se gravasse de forma rudimentar e tentasse colocar suas músicas em rádios locais, fazia-se pichações pela cidade com o nome da banda, etc.

O mundo mudou, esqueça definitivamente a ideia de lançar um “demo”. Hoje eles são vistos como coisa de amador. Lance um “demo” e há grandes chances de seu trabalho sequer ser ouvido.

musica cd

Produção Gráfica

Um novo trabalho tem que ser capaz de criar curiosidade pelo que está por ser ouvido ou visto. Justamente pela facilidade em se ter músicas com áudio de qualidade e divulgar nos dias de hoje a concorrência cresceu exponencialmente.

Para que o seu trabalho possa chamar a atenção ele precisa destacar-se dos demais. E isso começa com o que vamos chamar aqui de produção gráfica: lay-out, design e arte gráfica, fotos, site, logomarga, etc.

Ninguém se dará ao trabalho de assistir ao seu vídeo no YouTube se ele não tiver uma “miniatura” chamativa, um “nome” que convide, ou se seu CD/EP não for visualmente atraentes.

Ou seja, você precisa fazer com que as pessoas que tenham um primeiro contato com o seu trabalho tenham vontade de conhecer mais, de abrir o CD/EP e colocá-lo para tocar, de assistir aos seus vídeos.

Isso vale também para o site do seu trabalho musical. Do contrário, dificilmente vão se dar ao trabalho de conhecer, acessar os demais menus e navegar dentro da sua principal plataforma, que é só sua.

É uma questão de apresentação. Você consumiria um prato em um restaurante mal apresentado, aparência ruim, aspecto sujo, mesas precárias, talheres velhos, louça feia, mau cheiro, presença de insetos, etc?

Em gastronomia costuma-se dizer que “come-se com os olhos”. Estenda esse ditado a todas as possibilidades de negócio. Cada vez mais consome-se qualquer coisa com os olhos. Inclusive música.

Se não for atraente, não há interesse ou vontade de experimentar. Se ligou que a produção gráfica tem muito mais importância do que a maioria dos artistas dá, né?

Saiba usar isso ao seu favor. Há trabalhos maravilhosos de se ouvir, mas que muita gente sequer sente vontade de conhecer porque o artista não percebeu a importância da produção gráfica. Não seja mais um!

E tudo isso não é somente o que “eu” acho. O Ivan Junior recentemente fez uma entrevista exclusiva com o Juarez Tanure (Diretor de Arte da Elemess), e ele conta sobre a importância da produção gráfica para um artista. Vale a pena conferir.

Qualidade como Referência

Se você já conseguiu resolver bem a produção gráfica, se tornou o seu material atraente para quem o vê pela primeira vez, então começou com o pé direito. Parabéns!

Mas isso é só o começo. O próximo passo são as suas músicas.

Elas são a razão de ser do seu trabalho. É a sua matéria-prima. Consequentemente você não deve economizar em senso crítico.

Nem em dedicação , nem em dinheiro (a menos que consiga economizar mantendo a qualidade, o que costuma não ser possível) até fazer com que elas atinjam um alto nível tanto do áudio quanto de arranjos, criatividade e interpretação. E isso deve ficar evidente para quem ouve desde os primeiros segundos.

Personalidade

É muito importante que desde o início fique claro que a sua música tenha personalidade.

Seu som tem de soar único, ele tem de ter um sotaque só seu, tem de ter a sua impressão digital. Sabe quando você ouve pela primeira vez um trabalho que não conhecia sem saber de quem é e pensa “isso parece o som da banda x…” e aí você descobre que é mesmo a banda que pensava?

Pois é, me’rmão, é disso que estou falando! O seu trabalho tem de ter essa personalidade.  E ela deve começar a aparecer desde os primeiros acordes da primeira música do seu CD/EP, ou vídeo.

Portanto, leve isso em conta já na pré-produção. Na hora de escolher quais músicas de seu repertório farão parte do seu álbum, quando for determinar em qual ordem elas serão tocadas no CD/EP, por qual música você vai começar a trabalhar a divulgação, para qual delas será produzido o primeiro vídeo clipe, etc.

Contratar um produtor musical já durante a pré-produção pode ajudar muito a dar um “acabamento” nessa proposta. Mas, com ou sem ele, tenha uma proposta que soe única!

Abra a sua Cabeça!

Ouça de tudo, e ouça com ouvidos didáticos. Procure observar não só nos artistas de que gosta. Afinal, se alguém faz sucesso é porque é muito bom no que se propõem fazer. E, muitíssimo importante: seja humilde!

Já vi muita gente talentosa se negar a ouvir o assistir artistas de gêneros musicais que não aprecia. Por exemplo, já vi rockeiros de talento não quererem assistir a programas como o “Superstar” ou o “The Voice” dizendo “O que a Ivete Sangalo sabe de rock?”.

O caminho ao Olimpo é penoso. E os artistas consagrados chegaram lá. Superaram dificuldades. Ou, no mínimo, souberam aproveitar a onda, o momento. E bem poucos conseguem isso.

sucesso musical

Eles vivenciaram situações que a maioria dos artistas independentes não experimentou. Portanto, ouça o que eles têm a dizer, veja o que eles têm a mostrar. Você pode não concordar, zoar o que foi dito, mas, tenha ao menos a humildade de ouvir antes de criticar ou de não concordar.

Sempre há o que ser aprendido mesmo em gêneros musicais de que você não gosta. Aprenda com eles. Abra a sua cabeça! Quanto mais ouvir e ver mais informações terá à disposição em seu “banco de ideias” para usar em construção de seu trabalho. Ouça e veja de forma didática.

Procure entender a construção das letras, os temas, a forma com que elas abordam esses temas, preste a atenção nos elementos dos arranjos, como eles foram inseridos, o efeito que cada detalhe provoca no todo do arranjo.

Observe as performances, a interpretação, aprenda sobre a interação dos artistas com o público. Potencial para causar boa impressão no público é a principal das características que impressionam os gatekeepers. Aquelas pessoas que têm poder de decisão para contratar ou não a sua banda, lembra?

Estilo da sua Música

Você deve perseguir um estilo próprio. Mais uma vez: seu trabalho tem de soar único, tem de despertar no ouvinte a sensação de que está diante de algo novo, criativo. Você gosta muito de artistas de sucesso do passado? Parabéns! Eles são ótimos mesmo.

Mas, lute para não se tornar uma cópia deles ou você será apenas mais uma cópia. Pesquise, ouça outras coisas. Trabalhe seu estilo misturando essas influências a outras novas que descobrirá. Procure novas maneiras de passar sua mensagem. O que nos leva ao próximo passo.

Letras e Mensagem da sua Música

A sua mensagem tem de ser adequada ao tipo de público que pretende conquistar. Portanto, nem por um segundo pense em lançar seu EP ou CD sem um encarte que tenha as letras das músicas. Elas ajudam a compor a sua imagem, a sua atitude, a sua postura.

E costumam ser o motivo de identificação do público com músicas. E essa identificação é a razão principal para as pessoas consumirem um trabalho.

Boas letras, mesmo que nonsense, devem vir acompanhadas de boas composições. Saber fazer boas músicas é algo especialmente valorizado no music business. E talvez seja mesmo a mais importante habilidade que um artista possa ter, apesar de a imagem vir tendo importância cada vez mais dominante.

E se você não se acha um bom compositor então trabalhe com alguém que seja. Há diversos casos de artistas de sucesso que são ótimos intérpretes, mas não compõem.

Performance e Imagem = Música Profissional

Outra coisa a ser trabalhada é a performance. Se você for capaz de arrebatar plateias isso vai ajudá-lo tremendamente. Principalmente, no palco. Em vídeo essa característica também é importante.

Tudo isso vai ajudar a formar a sua imagem. Ela deve ser forte, marcante. Sua postura, sua atitude devem ser chamativos. O ideal é que o artista consiga exercer um magnetismo em quem o assiste.

banda musica

Apelo Comercial na Música

A soma dessas características serão fundamentais para que o seu trabalho tenha o chamado “apelo comercial”.

E aqui é oportuno frisar que o termo “comercial” não significa necessariamente algo ruim, embora haja muitos artistas que sintam calafrios com ele. Qualquer canção bem feita, bem produzida, bem gravada, bem divulgada e distribuída é sim comercial.

O que não quer dizer que “música boa tem de ser comercial”, embora também seja comum encontrar quem diga isso. Fuja de modismos. Não caia no erro de tentar imitar o que está rolando hoje no mainstream atrás de sucesso fácil. O lance é, repito, ser original, soar único.

Se o artista conseguir passar a impressão de que reúne todos esses traços tem grandes chances de deixar nas pessoas – principalmente os gatekeepers –  a sensação de que provavelmente tem potencial artístico de longo prazo, que tem força suficiente não só para chegar, mas para ficar.

Enfim, que não é apenas mais uma modinha. Claro, é uma aposta, já que não dá para prever o futuro. Mas, passar essa sensação será fundamental para que seu trabalho atraia possíveis fãs, gatekeepers, a indústria, o mainstream. 

Sucesso é relativo

Pode ser que isso não o torne um artista de sucesso, mas você não vai alcançá-lo sem colocar em seu trabalho elementos que mostrem que ele reúne essas características.

E a única forma de conseguir amarrar todas as pontas juntas, de reunir esses traços que distinguem artistas de grande potencial dos demais é trabalhando duro e zelando para que seu trabalho sempre trilhe o caminho da qualidade.

Gostou deste artigo? Deixe seu comentário ou sugestão para o meu próximo artigo!

No Posts Found

não vai deixar
seu autógrafo?

cursos gratuitos, networking, materiais de trabalho, diagnóstico, rede social... .. em 1 minutos você cria sua conta, é rápido